Os pais e a catequese

Os bispos portugueses desejam um maior envolvimento dos pais na catequese das crianças, criticando o distanciamento das famílias em relação à formação religiosa dos jovens.

Num "documento de orientações gerais para a catequese", o episcopado defende um maior envolvimento das famílias na formação religiosa dos filhos, que não deve estar somente a cargo dos catequistas.
«Não se educa uma criança se não houver um contributo de todos, daí que não possa haver uma catequese da infância desligada» dos adultos, afirmou o porta-voz em exercício da CEP.
«Ou temos adultos que estão catequizados e capazes de se associar a este processo ou então a catequese das crianças corre sérios riscos de ficar truncada», avisou D. Tomaz Nunes, Bispo Auxiliar de Lisboa.
Evitando generalizar estas críticas em relação a todos os pais, o prelado considerou ser «necessário e urgente que as famílias tomem uma consciência maior do seu papel educativo também neste campo».

catequese184.jpg (68081 bytes)

A revisão da catequese que a Igreja está a preparar prevê a transformação dos programas de ensino, passando de uma formação «predominantemente doutrinal para uma catequese mais englobante da vida toda», que passa pelo «desafio de uma experiência de vida cristã».
O documento há dias aprovado vai ser publicado em breve, transformando-se num apoio para «os catequistas, os pais, os responsáveis diocesanos da catequese se formarem» a partir de orientações definidas pelos bispos.